Este espaço é seu anuncie aqui! 87 9 9962-6354 / 9 8164-4420

Garanhuns Bijuterias e Bianca Bijoux.

Garanhuns Bijuterias e Bianca Bijoux.

GF Presentes e Variedades Vendas em Atacado e Varejo.

GF Presentes e Variedades Vendas em Atacado e Varejo.

Informamos que Simulador de direção é obrigatório para tirar CNH a partir de 12/12/2016.

Informamos que Simulador de direção é obrigatório para tirar CNH a partir de 12/12/2016.

Casa do Côco.

Casa do Côco.
Rua Melo PeIxoto, 79 CeNtro Garanhuns PE

Rua do Ipiranga, 143 Boa Vista Garanhuns PE.

Rua do Ipiranga, 143 Boa Vista Garanhuns PE.

Volte a Sorrir Garanhuns PE.

Volte a Sorrir Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

DESEMPREGO FAZ INADIMPLÊNCIA DO RECIFE SUBIR.

Do NE10
Soma do cartão de crédito com o cartão de loja fez 50% dos entrevistados se endividarem / Foto: Agência Brasil
Soma do cartão de crédito com o cartão de loja fez 50% dos entrevistados se endividarem
vulgada na manhã desta terça-feira (10) pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) apontou o desemprego como principal causador da inadimplência no Recife, o que não ocorria desde 2013.
O estudo do Perfil de Inadimplência, feito de 21 a 25 de setembro pela CDL, revela que 28% dos consumidores entrevistados estão endividados pela perda do emprego. Este número reflete um aumento de 16,5 pontos percentuais na comparação anual.

A falta de planejamento e o descontrole foi resposta de 16% dos entrevistados. Ter sido fiador ou avalista foi o motivo de 15% se endividarem. A capital pernambucana segue uma tendência nacional, devido à crise enfrentada pelo País, segundo a CDL.

O cartão de crédito foi o vilão para a maioria dos recifenses, provocando o endividamento em 32%. Quando somado com o cartão de loja, o número sobe para 50%. O empréstimo bancário cresceu 14,6 p.p. na comparação com 2014, atingindo 23%.

A pesquisa também revelou que houve crescimento no grau de endividamento das famílias: 24% delas têm entre 51% e 80% da renda comprometida com o pagamento de contas. No ano passado, este número era de 5% em setembro. Além disso, 10% das famílias estão com mais de 81% da renda comprometida com as dívidas.

Também cresceu em 13,9 p.p. os consumidores negativados pela primeira vez na comparação anual. Não conseguiram honrar as dívidas pela primeira vez 46% dos entrevistados. A negativação é recorrente para 48% dos inadimplentes.

No estudo, a CDL percebeu aumento no número de clientes inadimplentes que disseram não ter condições de pagar suas dívidas: de 33%, em abril, o número passou para 46%, em setembro. 

A maior parte dos consumidores (54%) afirmou que pretende quitar os débitos integral ou parcialmente. 56% dos clientes disseram que têm dificuldade de negociar as dívidas com as empresas.

Dos entrevistados, 17% alegaram não saber como fazer para economizar dinheiro. Já 13% disse que sua dificuldade é que os débitos são muito maiores do que os ganhos.

Além do descontrole com o dinheiro, a pesquisa também revelou que a alta inflação refletiu na relação ganhos x gastos. Não sobrou nada das economias de 50% dos entrevistados, que ainda ficaram com dívidas. 

Já para 16% não sobrou nada, mas não se endividaram. Outros 16% conseguiram terminar o mês com dinheiro sobrando e ainda guardaram na poupança, fizeram aplicações ou deixaram reservado.

A percepção financeira atual dos consumidores também piorou. A avaliação de 27% foi de que a situação estava péssima. As avaliações positivas diminuíram, com 35% respondendo "ótima" e 10%, "boa". Regular foi a resposta de 41%.

PERFIL - As pessoas entre 21 e 50 anos - maior parte dos economicamente ativos -somam 69% dos inadimplentes no Recife. Apesar disto, a pesquisa percebeu crescimento no número de idosos inadimplentes.

As pessoas com mais de 60 anos correspondem a 14% dos que não conseguiram arcar com as dívidas. Este é o maior valor observado nessa faixa etária desde o início da pesquisa, em 2011, de acordo com a CDL.

Os homens ainda são a maioria dos inadimplentes (51,6%). A população cuja renda mensal é de até 3 salários mínimos correspondeu a 82% dos negativados. As pessoas com ensino médio completo ou incompleto são 53%. Os profissionais de empresa privada somam 24%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário