Este espaço é seu anuncie aqui! 87 9 9962-6354 / 9 8164-4420

Garanhuns Bijuterias e Bianca Bijoux.

Garanhuns Bijuterias e Bianca Bijoux.

GF Presentes e Variedades Vendas em Atacado e Varejo.

GF Presentes e Variedades Vendas em Atacado e Varejo.

Informamos que Simulador de direção é obrigatório para tirar CNH a partir de 12/12/2016.

Informamos que Simulador de direção é obrigatório para tirar CNH a partir de 12/12/2016.

Casa do Côco.

Casa do Côco.
Rua Melo PeIxoto, 79 CeNtro Garanhuns PE

Rua do Ipiranga, 143 Boa Vista Garanhuns PE.

Rua do Ipiranga, 143 Boa Vista Garanhuns PE.

Volte a Sorrir Garanhuns PE.

Volte a Sorrir Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

domingo, 11 de outubro de 2015

Padres gays estão sendo enviados a mosteiro na Itália ‘para serem curados

O Vaticano, supostamente, tem enviado padres homossexuais a um mosteiro no norte da Itália “para serem curados”, é o que anda dizendo a imprensa italiana
O mosteiro Venturini em Trento, que abriga também, alegadamente, padres pedófilos, toxicodependentes e alcoólatras, trata aqueles “que mostram tendências sexuais impróprias”, disse ao La Repubblica, Mario Bonfante, um ex-padre católico que revelou ser gay em 2012.
“É um lugar onde eles o ajudam a redescobrir o ‘caminho certo’. Eles queriam me curar. Eu me recusei a ir”, acrescentou Bonfante, que teria sido demitido pela Igreja por se recusar. O Vaticano não quis comentar o assunto.
O padre Gianluigi Pasto, de 72 anos, responsável pelo Venturini, negou que o mosteiro seja usado para o tratamento de padres homossexuais, embora em uma entrevista ao La Repubblica tenha feito alusão à possibilidade de que, tanto os gays quanto os padres pedófilos tenham sido levados para lá no passado.
“Neste momento não temos nenhum padre gay ou pedófilo”, disse o padre, acrescentando que o Venturini era um lugar que ajuda “sacerdotes a se tornarem santos”.
“Eu só posso dizer que aqui nós ajudamos os sacerdotes se tornarem saudáveis”. Já ao The Independentfoi dito que nem Pasto nem qualquer outra equipe estavam disponíveis para entrevista. Um porta-voz do Vaticano disse: “Não há nenhum comentário a ser feito sobre o caso.” 
Gianluigi descreveu a suposição de que o mosteiro estava tratando os padres homossexuais e pedófilos como “absurda”.
“Os sacerdotes vêm para cá por um período de formação e reflexão pessoal … claro, nós estamos aqui para ajudar a todos. Acima de tudo, os sacerdotes que vêm aqui estão sofrendo de depressão “. Ele também disse que os padres não são forçados a ir para o mosteiro, que foi criado em 1983. Entretanto, o padre se recusou a comentar sobre quais procedimentos psicológicos ou psiquiátricos eram usados ​​para tratar os padres.
As alegações aconteceram logo após o sacerdote polonês, Krzystof Charamsa, acusar o Vaticano de “homofobia institucionalizada”.
Charamsa fez a acusação durante um discurso em Roma no sábado passado, um dia antes de a Igreja Católica iniciar o Sínodo (reunião de bispos destinada a reformular a doutrina da Igreja).
Após assumir sua homossexualidade e um relacionamento, Charamsa disse, em uma coletiva de imprensa em Roma, que ele se sentiu compelido a falar.
“Estou fora do armário e estou muito feliz com isso”, disse o padre de 43 anos. “Eu quero ser um advogado para todas as minorias sexuais e suas famílias que sofrem em silêncio.”
De acordo com Charamsa, a maioria dos padres católicos são homossexuais, mas são tão consumidos pelo auto-ódio, que apoiam a repressão de “seus instintos básicos e desejos de amor”.
O Vaticano reagiu dizendo que “a decisão de fazer uma declaração tão polêmica na véspera da abertura do Sínodo pareceu muito grave e irresponsável, uma vez que visa sujeitar a Assembleia Sinodal à pressão da mídia.”
Entretanto, mesmo antes da saída do armário do padre polonês, a conduta católica diante da questão da sexualidade já dominava as manchetes.
O Vaticano confirmou na sexta-feira (02), que Francisco havia abraçado um velho amigo gay e seu parceiro durante a recente visita aos Estados Unidos.
O gesto altamente simbólico, indicativo de atitude “tolerante” de Francisco em relação aos gays, veio um dia antes dele se encontrar secretamente com a proeminente adversária do casamento gay, Kim Davis, que, no início deste mês, chegou a ser presa por se recusar a conceder licença de casamento a gays num cartório do estado do Kentucky.
Nesse encontro, segundo a própria Davis, Francisco a teria agradecido pela sua coragem.
“Eu estendi minha mão, ele agarrou-a, eu abracei ele e ele me disse: Obrigado por sua coragem”
O papa também teria, supostamente, dado a Davis um rosário, que ela planejaria dar a seus pais católicos. Francisco ainda teria dito a Kim: “Fique forte!”
A tabeliã acrescentou que o encontro valida suas ações nas últimas semanas.
Lembrando que, uma decisão da Suprema Corte dos EUA determinou, em junho deste ano, que a união civil gay é um direito de todos os americanos

Nenhum comentário:

Postar um comentário