Este espaço é seu anuncie aqui! 87 9 9962-6354 / 9 8164-4420

Garanhuns Bijuterias e Bianca Bijoux.

Garanhuns Bijuterias e Bianca Bijoux.

Roberto dos Ônibus.

Roberto dos Ônibus.

Informamos que Simulador de direção é obrigatório para tirar CNH.

Informamos que Simulador de direção é obrigatório para tirar CNH.

Casa do Côco.

Casa do Côco.
Rua Melo PeIxoto, 79 CeNtro Garanhuns PE

Rua do Ipiranga, 143 Boa Vista Garanhuns PE.

Rua do Ipiranga, 143 Boa Vista Garanhuns PE.

Volte a Sorrir Garanhuns PE.

Volte a Sorrir Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Cia da Construção e Madeireira.

Cia da Construção e Madeireira.

King Lanternagem e Pintura.

King Lanternagem e Pintura.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Homem que jogou ex do terraço é condenado a 22 anos de prisão no RJ



A Justiça condenou, nesta quarta-feira (24), a 22 anos de prisão, Leonardo Carvalho de Oliveira, pelo assassinato da ex-noiva, Nívia Araújo, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio. Ele arremessou a vítima do terraço do apartamento onde ela morava. Foi negado a ele o direito de recorrer em liberdade.
O crime aconteceu no réveillon de 2014. De acordo com a acusação, inconformado com o fim do relacionamento, Leonardo agrediu Nívia, que tinha 24 anos, antes de jogá-la de uma altura de aproximadamente oito metros. Ela chegou a ser socorrida, mas morreu quatro dias depois no hospital. Leonardo se entregou à polícia no dia seguinte à confirmação da morte da jovem.
O julgamento de Leonardo teve início na manhã de terça-feira (23) no Fórum Juíza Patrícia Lourival Acioli, em São Gonçalo e a sentença foi proferida nesta madrugada pela juíza Juliana Grillo El-Jaick. O júri o declarou culpado pela morte.
Segundo a denúncia, Leonardo agiu por motivo fútil. Na madrugada de 1º de janeiro de 2014, ele ficou no portão da residência da ex-namorada, aguardando-a. Ao perceber que ela estava sozinha, ele tentou arrombar o portão da garagem. Em seguida, escalou a parede do imóvel até alcançar o segundo andar, arrombando as portas de entrada e do quarto, onde a vítima tinha se trancado. Depois de agredi-la, ele a jogou do terraço.
A juíza destacou que Leonardo “não faz jus ao direito de apelar em liberdade, vez que respondeu preso a todo o processo, de forma que não faz sentido soltá-lo agora, após a prolação da sentença condenatória. Ademais, a prisão do réu se apresenta necessária para garantir a aplicação da lei penal, pois, uma vez em liberdade, poderia tentar escapar da atuação estatal".

Ameaças ignoradas
À época do crime, o delegado responsável pelas investigações, Jorge Veloso, disse ao G1 que amigos que estavam com Nívia na festa de réveillon horas antes disseram em depoimento que a jovem ignorou ameaças feitas pelo ex.
“Eles contam que ela recebia mensagens durante a festa e comentava que eram ameaças, mas parecia não se importar muito, tanto que foi para casa sozinha", disse o delegado à época. O investigador ressaltou ainda que Leonardo já tinha dois antecedentes criminais contra agressões a outras namoradas.
Nívia deu entrada no Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, na madrugada de 1º de janeiro de 2014 com traumatismo craniano gravíssimo. Ela foi conduzida à unidade médica pelo Corpo de Bombeiros, que foi acionado pelo ex-noivo da vítima.
Leonardo alegou aos bombeiros que a caiu do terraço, que fica no terceiro andar da casa, ao estender roupa no varal. Imagens do circuito de vigilância de uma casa vizinha mostraram, no entanto, que ele estava à espreita dela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário