Anuncie aqui!

Anuncie aqui!
QUER ANUNCIAR NO BLOG: E-mail: agresteemalerta@gmail.com Fone: (87) 9 8164-4420 Whatsapp: (87)9.9962-6354

Cia da Construção e Madeireira.

Cia da Construção e Madeireira.

Stop Lanches o Melhor Lanche da cidade

Stop Lanches o Melhor Lanche da cidade
Org: Maciel.

Eletrônica Pc Games

Eletrônica Pc Games
Pop-shop Garanhuns

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.
Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Maluquinha preço único

Maluquinha preço único
Avenida Santo Antônio, Centro Garanhuns-PE

quinta-feira, 19 de julho de 2018

MPF obtém condenação de policial que pediu propina para liberar veículo irregularno no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Ouricuri no Sertão de Pernambuco



Foi interposto recurso para que seja mantida a pena de reclusão.

O Ministério Público Federal (MPF) em Salgueiro/Ouricui (PE) obteve, na Justiça Federal, a condenação do policial rodoviário federal Nelson de Oliveira Alencar Neto pelo crime de concussão. Em atuação no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Ouricuri, o condenado exigiu valor em dinheiro para liberar caminhoneiro cujo veículo estava irregular.
O crime ocorreu em junho de 2017. De acordo com as apurações, o caminhão foi liberado sem nenhuma autuação, mesmo estando com o tacógrafo vencido. O motorista relatou à Corregedoria da PRF ter recebido ameaça de aplicação de outras multas, além da relativa ao tacógrafo, caso não desse alguma quantia ao policial. A Corregedoria, que deu início à investigação, já vinha monitorando o trabalho desempenhado no posto policial de Ouricuri, diante da suspeita de práticas de corrupção.
A Justiça Federal atendeu o pedido do MPF na ação penal e condenou o policial a dois anos e nove meses de reclusão, ao pagamento de multa e à perda do cargo público ocupado na ocasião do crime. A pena de prisão, porém, foi convertida em prestação de serviço a entidade com fim social.
O MPF recorreu ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região para que a pena de prisão seja mantida e ampliada para quatro anos e três meses de reclusão. No entendimento do órgão, as circunstâncias e consequências da conduta do policial, envolvendo clara violação do dever funcional, devem ser consideradas pela Justiça Federal na definição da pena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUER ANUNCIAR NO BLOG Ligue 87 9 9962-6354 / 9 8164-4420

J&N CARNES

J&N CARNES