Este espaço é seu anuncie aqui! 87 9 9962-6354 / 9 8164-4420

Garanhuns Bijuterias e Bianca Bijoux.

Garanhuns Bijuterias e Bianca Bijoux.

GF Presentes e Variedades Vendas em Atacado e Varejo.

GF Presentes e Variedades Vendas em Atacado e Varejo.

Informamos que Simulador de direção é obrigatório para tirar CNH a partir de 12/12/2016.

Informamos que Simulador de direção é obrigatório para tirar CNH a partir de 12/12/2016.

Casa do Côco.

Casa do Côco.
Rua Melo PeIxoto, 79 CeNtro Garanhuns PE

Rua do Ipiranga, 143 Boa Vista Garanhuns PE.

Rua do Ipiranga, 143 Boa Vista Garanhuns PE.

Volte a Sorrir Garanhuns PE.

Volte a Sorrir Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Prefeito e vereador de Mata Grande são acusados de formação de quadrilha


Jacob Brandão e Júlio Brandão utilizaram cheques da prefeitura para se locupletaram Kleber Malaquias amarga prejuízo superior a R$350 mil


Desde o primeiro mandato do prefeito de Mata Grande, Jacob Brandão (PP), e do veador Júlio Brandão, que são irmãos, que tramita na justiça um processo que responsabiliza o gestor e o presidente da Câmara de Mata Grande por um calote no empresário Kleber Malaquias de Oliveira que ultrapassa R$ 350 mil.
Em 2009, Kleber firmou contrato com a prefeitura sertaneja com dispensa de licitação para locação de quatro automóveis - Gol, Uno, Celta e Palio - para prestação de serviço na Secretaria de Saúde do município.  O contrato firmado entre a prefeitura e a locadora de veículos “Vem Pra K Rent Car” de propriedade de Kleber estipula o pagamento mensal de R$ 5.700,00, o que segundo o empresário, nunca foi realizado. 
“Durante quatro meses recebi cheques referentes à metade do valor do contrato. A irregularidade nunca foi explicada e daí por diante comecei a fazer cobranças veementes ao prefeito. Depois desses quatro meses jamais recebi um só centavo desse montante”, enfatizou. Kleber Malaquias tomou conhecimento que os cheques referentes ao seu contrato com a prefeitura, assinados pelo prefeito Jacob Brandão e repassados ao então secretário de Finanças, Gabriel Brandão, primo do chefe do executivo, estavam indo parar nas mãos do vereador e presidente da Câmara, Júlio Bandão, o irmão do prefeito.
 Ainda segundo o empresário  revelou ao jornal EXTRA, mesmo os cheques sendo nominais a ele, os valores foram sacados na agência do Banco do Brasil (BB) de Mata Grande. “O gerente do Banco do Brasil facilitou durante mais de dois anos esse esquema montado pelo prefeito, o secretário de Finanças e o vereador. Hoje em dia não sei em que pé anda essa situação. Não sei se o nome da minha empresa ainda é usado para beneficiar essa quadrilha montada em Mata Grande para se locupletar do dinheiro da prefeitura”, expôs Kleber. 
O empresário adiantou que o dinheiro “surrupiado” por Júlio Brandão com a conivência do prefeito/irmão servia para pagar as prestações dos seus veículos de luxo. “O Júlio chega de Pajero, de Land Rover em Mata Grande enquanto o povo morre de sede, de fome. Se juntar todos os salários dos vereadores de lá durante um ano inteiro, não se consegue comprar um só automóvel desses”, desabafou. Após as negociações não avançarem e o contato infrutífero com o promotor da cidade, Cláudio José Moreira Teles, que sugeriu um acordo amigável, mesmo sabendo de todo caso, o empresário decidiu levar as acusações de formação de quadrilha, peculato, estelionato e apropriação indébita para os órgãos competentes.
“Hoje a Polícia Federal, Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal sabem dos desmandos praticados pela quadrilha que comanda a Prefeitura e Câmara de Mata Grande”. O empresário disse que levou as denúncias para PF, pois o dinheiro que ele classifica como “roubado” pelo vereador Júlio Brandão era destinado à Secretaria de Saúde para locação de carros, através de verba federal, e o dinheiro sacado de forma “ilegal” era retirado do Banco do Brasil. Kleber Malaquias de Oliveira entregou ainda toda documentação: contrato, cheques e diálogos num aplicativo móvel (whatsapp) entre ele e os acusados para o  Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) investigar suas denúncias.

Tentativa de perpetuação no poder

Kleber Malaquias fez acusações da atual estrutura política que vem sendo montada em Mata Grande para perpetuação no poder da família Brandão. O empresário alertou que quem manda de fato no Executivo é o vereador Júlio Brandão, que indicou o atual secretário de Finanças, Henrique Lisboa, para em conluio dilapidarem o patrimônio público.Malaquias adiantou que a família Brandão vai disputar novamente a Prefeitura de Mata Grande com Henrique Lisboa como cabeça de chapa e a Prefeitura de Joaquim Gomes, onde a mãe do prefeito e do vereador, Cristina Brandão, já foi prefeita e condenada por compra de votos.
A filha da ex-prefeita, Frinéia Gomes Brandão, e irmã dos políticos de Mata Grande, foi condenada a quatro anos e nove meses pelo juiz Lucas Doria Ferreira, seguindo as regras estabelecidas no artigo 35 do Código Penal, na mesma ação em que a mãe foi condenada. O inquérito da Polícia Federal que indiciou Cristina e Frinéia Brandão classificou a atuação criminosa dos envolvidos: “grandioso e extremamente organizado sistema de cooptação de eleitores objetivando a chamada compra de votos, durante o pleito ocorrido em outubro de 2008.
Tal organização era para que os eleitores, inscritos na cidade de Joaquim Gomes, votassem na então candidata [Cristina Brandão], que almejava reeleição para o cargo de prefeita do citado município”.O EXTRA procurou as assessorias de comunicação do prefeito e do vereador de Mata Grande para darem suas versões, mas ambos colocaram “que desconhecem os assuntos” e isto a despeito de constar no site do Tribunal de Justiça de Alagoas o processo movido por Kleber Malaquias contra eles. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário