Anuncie aqui!

Anuncie aqui!
QUER ANUNCIAR NO BLOG: E-mail: agresteemalerta@gmail.com Fone: (87) 9 8164-4420 Whatsapp: (87)9.9962-6354

Cia da Construção e Madeireira.

Cia da Construção e Madeireira.

Stop Lanches o Melhor Lanche da cidade

Stop Lanches o Melhor Lanche da cidade
Org: Maciel.

Eletrônica Pc Games

Eletrônica Pc Games
Pop-shop Garanhuns

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.
Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Maluquinha preço único

Maluquinha preço único
Avenida Santo Antônio, Centro Garanhuns-PE

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

PODE ACONTECER UMA NOVA PARALISAÇÃO: Pelo WhatsApp, caminhoneiros começam a organizar nova greve geral para 22 de janeiro, diz Revista Veja


Uma nova greve dos caminhoneiros autônomos está prevista para 22 de janeiro, dois dias após a reunião que deve ocorrer na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para discutir o reajuste da tabela do frete. A mobilização da categoria acontece via grupos de WhatsApp e tem como objetivo manifestar a insatisfação com o descumprimento do piso mínimo do frete. As informações foram divulgas nesta terça-feira (4/12) pelo site da revista Veja.

O presidente Michel Temer aceitou várias exigências dos caminhoneiros para dar fim à greve geral promovida pela categoria em maio deste ano, sendo uma destas a criação de uma tabela com valores mínimos do frete e a redução do preço do diesel. Porta-voz do Comando Nacional do Transporte, Ivar Luiz Schmidt, diz que “pouquíssimas empresas pagam o piso mínimo, talvez uns 2%. O restante continua igual, paga o que quer”

Ainda segundo a revista, a categoria reivindica fiscalização por parte da ANTT e que a reguladora condicione a emissão do código identificador de operação de transporte (Ciot) ao cumprimento da tabela de piso mínimo do frete. Sem esse código, o caminhão não pode carregar a carga.

Outro lado

As duas principais entidades ligadas aos caminhoneiros são a Confederação Nacional de Transportes Autônomos (CNTA), que afirmou desconhecer a paralisação, e a Associação Brasileira de Caminhoneiros (Abcam), que não se pronunciou sobre o assunto.

A ANTT não se pronunciou até a publicação da reportagem no site da revista. Mas, em outubro, a agência informou que a tabela de piso mínimo de frete estava em vigor e, por isso, tinha intensificado as fiscalizações.

Fonte Metrópolis e Site da Revista Veja

Um comentário:

QUER ANUNCIAR NO BLOG Ligue 87 9 9962-6354 / 9 8164-4420

J&N CARNES

J&N CARNES