Anuncie aqui!

Anuncie aqui!
QUER ANUNCIAR NO BLOG: E-mail: agresteemalerta@gmail.com Fone: (87) 9 8857-0534 WhatsApp

Clique na imagem para outras informações

A M SEMENTEIRA - Mudas de hortaliças e legumes

A M SEMENTEIRA -  Mudas de hortaliças e legumes

Cia da Construção e Madeireira.

Cia da Construção e Madeireira.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.
Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Maluquinha preço único

Maluquinha preço único
Avenida Santo Antônio, Centro Garanhuns-PE

Rua Melo Peixoto - Centro - Garanhuns - PE - Fone: (87) 9. 9677-5705

Rua Melo Peixoto - Centro - Garanhuns - PE - Fone: (87) 9. 9677-5705

sábado, 31 de julho de 2021

Em agosto, Aneel mantém bandeira vermelha 2 e conta de luz mais cara

 


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou, nesta sexta-feira (30), que devido à crise hidrelétrica, a bandeira mais cara, vermelha 2, seguirá em vigor no mês de agosto. A tarifa está ativa desde junho. 

A justificativa é a seca histórica na região das hidrelétricas, o que faz com que o governo recorra a usinas térmicas, que têm um custo maior de geração. O custo extra é repassado aos consumidores. A bandeira vermelha 2 representa uma cobrança adicional de R$ 6,24 para cada 100 kWh consumidos pelos brasileiros.

"Em julho, as afluências nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN) continuam entre as mais críticas . Agosto inicia-se com igual perspectiva hidrológica, com os principais reservatórios do SIN em níveis consideravelmente baixos para essa época do ano", disse a Aneel.

O custo de operação das termelétricas deve aumentar 105,02% apenas nos primeiros dias do mês de agosto. Os dados foram publicados pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) nesta sexta (30). 

Mesmo diante desse cenário crítico, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, descarta a possibilidade de um racionamento de energia para enfrentar a pior seca nas hidrelétricas da região Sudeste e Centro-Oeste em 91 anos.

O ministro afirmou, entrevista à CNN, que “não haverá racionamento e trabalhamos para que não haja risco de apagão.” Segundo ele, as indústrias trabalham para evitar que “haja concentração de demanda energética em horários que levaria a apagão, estamos conversando com a indústria para que dentro das necessidades escolhermos o descolamento, ou eles mesmos, com devidas compensações para o sistema elétrico.”





Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUER ANUNCIAR NO PORTAL Ligue 87 9. 8812-6217