Anuncie aqui!

Anuncie aqui!
QUER ANUNCIAR NO BLOG: E-mail: agresteemalerta@gmail.com Fone: (87) 9 8857-0534 WhatsApp

Clique na imagem para outras informações

A M SEMENTEIRA - Mudas de hortaliças e legumes

A M SEMENTEIRA -  Mudas de hortaliças e legumes

Cia da Construção e Madeireira.

Cia da Construção e Madeireira.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.
Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Maluquinha preço único

Maluquinha preço único
Avenida Santo Antônio, Centro Garanhuns-PE

Rua Melo Peixoto - Centro - Garanhuns - PE - Fone: (87) 9. 9677-5705

Rua Melo Peixoto - Centro - Garanhuns - PE - Fone: (87) 9. 9677-5705

sábado, 1 de maio de 2021

VEREADOR DE GARANHUNS NEGA TER DADO VOZ DE PRISÃO EM VIA PÚBLICA - Thiago Paes exclui publicações que comprovam sua atitude diante de motorista que trafegava pela cidade com carro de som

 

Após ter se envolvido em polêmica, o vereador Thiago Paes foi a público e usou meios de comunicação para tentar se redimir diante dos fatos que, foram printados pelos internautas e enviados a nossa redação. 

Segundo ele, o vereador, não aconteceu nenhum um tipo de excesso e tão pouco voz de prisão no ato em que abordou o motorista Mauro Sérgio, onde o mesmo afirma ter ficado assustado ao ver de súbito um carro chegando em frente ao seu fazendo parar bruscamente. 

"Eu tive um susto quando vi um carro fechando o meu, e de dentro saiu um homem nervoso com um papel na mão, cheio de autoridade, dizendo que eu estava sendo preso e poderia pegar de um a quatro anos de prisão, por estar veiculando uma propaganda falando do presidente do Brasil. Mas é meu trabalho, eu fui apenas contratado. Agora vou buscar os meus direitos."                                                                                                    O vereador nega ter sido arrogante, como disse o motorista, e afirma ter seguido a lei quanto a calúnia e difamação ao presidente do país. "Eu não abordei o motorista, apenas pedi que ele me dissesse quem mandou ele veincular a música que continha palavras que caluniavam o presidente, e que isso era crime. Ele não foi preso e nem maltratado, o carro também não, eu não dei voz de prisão isso não é verdade. Estava com a lei em mãos na companhia de policiais quando tudo aconteceu."  

Diante dos fatos, o Portal Agreste em Alerta fica a disposição de ambas às partes para que possam expor suas opiniões, bem como, esclarecer suas atitudes para com a população de Garanhuns.


EPAMINONDAS MOABI LIMA OBEID

Nossa redação entrou em contato com um dos advogados (EPAMINONDAS MOABI LIMA OBEID), que está assessorando o sr. Mauro Sérgio, e ele nos relatou o seguinte: " Essa é uma situação nítida de abuso, um exemplo do que um parlamentar não deve fazer. Ele utiliza de sua condição de vereador e dá voz de prisão à um trabalhador por um fato que não constitui crime, nitidamente afrontando o Direito a Liberdade de Expressão, consagrado na Constituição Federal de 1988. Caso tivesse ocorrido o crime, a pessoa do vereador não é legitimada para pedir instauração de investigação, pois o Art. 145, parágrafo único do Código Penal, estabelece que; cabe ao Ministro da Justiça requisitar a abertura de inquérito a Polícia Federal nos casos de crime contra a honra do Presidente da República. Ou seja: 

1) não existiu crime 

2) Ainda que tivesse existido crime de calúnia e difamação, não se aplicaria a Lei de Segurança Nacional, pois a referida Lei trata da segurança e soberania do país, bem como da pessoa do Presidente, devendo ser levado em consideração as motivações e o risco real para o presidente e um áudio de carro de som não representa risco ao Presidente da República 

3) Não podemos confundir o crime previsto no art. 26 da Lei de Segurança Nacional com o 138, 140 e 141, I, do Código Penal, e talvez aí esteja o maior erro de interpretação do vereador 

4) A Polícia Civil não é competente para abrir inquérito policial em crime contra a honra do Presidente da República, nem pela Lei de Segurança Nacional, nem pelo Código Penal. 

Por fim, o que se conclui é que; O vereador hiago Paes, causou o maior constrangimento por querer censurar a liberdade de expressão e por divergir ideologicamente, aliás, ele utilizou vários vídeos em suas redes sociais afirmando que prendeu o cidadão e ainda fez propaganda pessoal dessa situação.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUER ANUNCIAR NO PORTAL Ligue 87 9. 8812-6217