Anuncie aqui!

Anuncie aqui!
QUER ANUNCIAR NO BLOG: E-mail: agresteemalerta@gmail.com Fone: (87) 9 8164-4420 Whatsapp: (87)9.9962-6354

Cia da Construção e Madeireira.

Cia da Construção e Madeireira.

Stop Lanches o Melhor Lanche da cidade

Stop Lanches o Melhor Lanche da cidade
Org: Maciel.

Eletrônica Pc Games

Eletrônica Pc Games
Pop-shop Garanhuns

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.
Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Maluquinha preço único

Maluquinha preço único
Avenida Santo Antônio, Centro Garanhuns-PE

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Golpistas se passam por juízes e delegados para extorquir dinheiro de parentes de presos em Garanhuns e Recife


Foi registrado na 18ª Seccional de Polícia de Garanhuns nos últimos dias, uma tentativa um tanto quanto inusitada de estelionato. Trata-se de um golpe para extorquir dinheiro dos familiares dos presos. O caso foi relatado para a delegacia de crimes cibernéticos do Recife e será investigado na 134ª delegacia circunscricional de Garanhuns. 

De acordo com Diário de Pernambuco, a mesma tentativa de golpe também aconteceu nas delegacias da Mulher, no Recife e funciona assim: os agentes recebem ligações de uma pessoa se identificando como Juiz Plantonista do Tribunal e pedindo informações sobre as situações dos presos como nome, endereço e número do telefone dos familiares. No caso do Recife, estranhando a maneira fora do padrão para obter as informações, os agentes forneceram números telefônicos deles mesmos e instantes depois receberam ligações e foram contactados através de aplicativo de troca de mensagens instantâneas. "Me ligaram, se identificaram como o delegado que prendeu o meu ‘parente’ e informaram que havia sido arbitrado uma fiança de R$ 1,5 mil, onde eu deveria depositar o valor em uma conta que ele me passou os dados. Prontamente me identifiquei como policial e eles encerram a ligação", disse um agente do Recife. 

Com apenas os dois registros divulgados, não é sabido se a prática do estelionato obteve sucesso em algum local no estado. No entanto, de acordo com o advogado Pedro Bezerra, a forma de abordagem da polícia para informar aos familiares e ao poder judiciário da situação dos presos segue um padrão único. "Quando o delegado identifica o crime como passível de fiança – porque nem todos admitem-, ele estabelece e informa aos familiares, na delegacia, uma guia para ser efetuada o depósito da fiança. É uma conta do judiciário de fundo do amparo aos presos, que é administrada pela União. Jamais é depositado em conta pessoal", afirma. Além disso, a advogada Tatyana Mota lembra que em nenhum momento é passado informações dos presos por telefone aos familiares ou aos membros dos poderes do judiciário. "Tudo acontece dentro da delegacia", alerta. 

Do Diário de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUER ANUNCIAR NO BLOG Ligue 87 9 9962-6354 / 9 8164-4420

J&N CARNES

J&N CARNES