Anuncie aqui!

Anuncie aqui!
QUER ANUNCIAR NO BLOG: E-mail: agresteemalerta@gmail.com Fone: (87) 9 8857-0534 WhatsApp

Clique na imagem para outras informações

A M SEMENTEIRA - Mudas de hortaliças e legumes

A M SEMENTEIRA -  Mudas de hortaliças e legumes

Cia da Construção e Madeireira.

Cia da Construção e Madeireira.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.
Rua Joaquim Nabuco 33 Centro Garanhuns PE.

Maluquinha preço único

Maluquinha preço único
Avenida Santo Antônio, Centro Garanhuns-PE

Rua Melo Peixoto - Centro - Garanhuns - PE - Fone: (87) 9. 9677-5705

Rua Melo Peixoto - Centro - Garanhuns - PE - Fone: (87) 9. 9677-5705

segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Procurado por matar mulher e atirando na filha há 16 anos em Pedra (PE), é preso em Campinas

 

Do G1 Campinas

Geneílson Gomes Leal, de 47 anos, foi preso em Campinas (SP) nesta segunda-feira (23) depois de 16 anos foragido. Ele é acusado de matar a mulher e atirar contra a enteada e uma filha em 11 de agosto de 2004, na cidade de Pedra (PE).

Geneílson vivia na região do Jardim São José, onde foi localizado, e trabalhava com bicos, segundo a Polícia Civil. Há informações de que ele fugiu para a região logo depois do crime. O caso foi tema de um episódio do programa Linha Direta, da TV Globo.

Em Campinas, Geneílson tinha formado uma nova família. Segundo a Polícia Civil, ele teve um filho com a nova companheira e tinha dois enteados. Capturado pela equipe do Setor de Investigação e Estratégica (SIE) da 1ª Seccional da cidade, o homem fica à disposição da Justiça.

De acordo com investigadores, Geneílson foi localizado após a Polícia Civil de Pedra (PE) receber a informação de que o procurado estaria trabalhando em uma olaria em Campinas.

Após trabalhos dos investigadores, eles localizaram o suspeito em um imóvel nesta segunda. De acordo com a equipe, em um primeiro momento ele disse que se chamava José e era natural da Bahia. Após a apresentação de dados e do mandado, Geneílson teria confessado o crime.

O registro do caso aponta que o acusado foi mandado embora de casa pela professora depois de anos de violência contra ela e a família. Ele não teria aceitado a separação e quis se vingar.

À polícia, o acusado disse que realmente atirou para matar a companheira, a professora Tereza Aparecida Rêgo, e que ele fez isso porque a mulher estava o traindo. Geneílson teria dito ainda aos policiais que atirou contra a filha pois "ela defendia a mãe". A menina sobreviveu.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUER ANUNCIAR NO PORTAL Ligue 87 9. 8812-6217